Bibliotecas Municipais

Formação Cultural com um olhar humanizado

Além da formação teórica, vivência prática permite o desenvolvimento como cidadão

O Programa Jovem Monitor/a Cultural (PJMC) é um programa de formação e experimentação profissional em gestão cultural para as juventudes. E em um equipamento cultural, as equipes se deparam com diversas atividades, que vão desde a realização de eventos, o atendimento ao público, toda a parte burocrática, entre outras atividades, inclusive algumas situações bastante inusitadas.

Uma dessas situações aconteceu recentemente na Biblioteca Pública Pedro Nava, quando um dos frequentadores do espaço teve um mal-estar e sofreu uma convulsão. Para a sorte de todos, a jovem monitora Ingrid Santos da Silva estava atenta e pôde oferecer os primeiros socorros.

Jovem Monitora Ingrid Santos
Jovem Monitora Ingrid Santos

“Meu relacionamento com a gestora e as demais pessoas da biblioteca contribui bastante para me sentir confortável em tomar a frente das coisas, como por exemplo, pude prestar atendimento de primeiros socorros a um frequentador da biblioteca, que teve uma convulsão”, relata.

Thaís da Silva Farias, gestora da Biblioteca Pública Pedro Nava, acredita que vivenciar experiências de aprendizado mútuo com a jovem monitora Ingrid, acentua o seu sentido de auxiliar, ajudar pessoas. Entende que  o Programa Jovem Monitor Cultural contribui  trazendo possibilidades para toda a equipe, se estimular com a energia, e alegria que esta juventude oferece, além de novas ideias para a execução  das atividades culturais no equipamento trazendo um novo e ampliando olhar, para as(os) servidoras(res) do equipamento público.

Thaís da Silva Farias, gestora da Biblioteca Pública Pedro Nava
Thaís da Silva Farias, gestora da Biblioteca Pública Pedro Nava

“E o processo de formação prática traz acesso e conhecimento para os(as) jovens monitores(ras) de como funciona um equipamento público cultural para a realização de eventos, encontrando satisfação em cada resultado adquirido, sentindo-se gratificados pela atuação realizada”, afirma a gestora.

A jovem Ingrid acredita que sua atuação na Biblioteca a faz se sentir mais segura para desenvolver qualquer atividade, mesmo considerando-se uma pessoa bastante tímida. “Me sinto mais madura e viva, com um olhar mais humanizado como cidadã”, conclui.

Para a coordenadora do Programa Jovem Monitor Cultural, pelo CIEDS, Liduína Lins, a formação cidadã constitui um diferencial na composição formativa. “A maneira de compô-la considera os saberes das juventudes, as redes de relação que os equipamentos de cultura constituem no território, desde a relação com público, singular e coletiva (comunidade, moradores do bairro), até a possibilidade de alteração do cotidiano do lugar”, afirma Liduína.

Por Rafael Biazão

Programa Jovem Monitor Cultural na Comic Con
Jovens Monitores organizam livros arrecadados na Comic Con
Jovens Monitores organizam livros arrecadados na Comic Con

Em 2017, o Programa Jovem Monitor Cultura (PJMC) esteve presente na Comic Con Experience, considerada uma das maiores feiras de cultura pop da América Latina. Em uma inédita parceria, o PJMC conseguiu levar parte de seus jovens monitores para atuarem na triagem de livros literários doados ao longo dos quatro dias do evento, realizado no São Paulo Expo, na Zona Sul da capital paulista, entre os dias 7 e 10 de dezembro.

Todos os livros selecionados pelos jovens foram distribuídos para as bibliotecas públicas do município de São Paulo. A jovem monitora Keila dos Santos, que atua na Biblioteca Mario de Andrade, foi uma das representantes do PJMC. Além de considerar sua participação na feira como inovadora, Keila confia que os livros doados suprirão a demanda do público jovem. “A maioria dos livros que chegaram aqui são os mais buscados, principalmente pelos adolescentes e jovens. Achei muito importante essa participação em pró da comunidade”, descreveu.

Outra participante foi Cibele Bezerra, que atua na Biblioteca Pública Municipal Prefeito Prestes Maia. Para ela, a principal motivação no trabalho foi fazer parte de um evento da magnitude da Comic Con Experience. “Minha expectativa é de conhecer um pouco a dinâmica da produção de uma feira tão grande como essa. Ter um pouco mais de noção dos bastidores. Acho que será bastante formativo para mim”, disse ela instantes antes de iniciar os trabalhos.

A Camila dos Santos, da Biblioteca Milton Santos, acredita que as doações foram de grande valia. “Na biblioteca tem muita gente que chega falando que procurou determinado livro em outras bibliotecas e não encontrou. Muitas vezes as pessoas precisam se deslocar para regiões distantes para encontrar determinado livro”, declara.

A Comic Con Experience de 2017 teve como principais atrações os atores Will Smith, divulgado o seu novo filme “Bright”; Alicia Vilkander, vencedora do Oscar e estrela do novo “Tomb Raider: A Origem”; e Nikolaj Coster-Waldau, da série “Game of Thrones”. Segunda a organização, mais de 200 mil pessoas passaram pelo evento nos quatro dias.

A participação dos jovens na Comic Con está alinhada com a proposta do Programa Jovem Monitor Cultural, que visa oferecer formação e experimentação profissional em gestão cultural para as juventudes. Além disso, os jovens puderam ver o resultado da campanha de arrecadação de livros nas prateleiras das bibliotecas onde atuam. Mais de 8 mil livros foram arrecadados e destinados às bibliotecas públicas municipais.

Por Toni Cavalcanti e Rafael Biazão