Analista de Dados do Programa ao longo de quatro anos, Lilian Silva foi convidada a desenvolver sua pesquisa sobre avaliação de programas sociais na Austrália

Por Maíra Brandão

Existem diversas formas de mensurar um período. Em geral, pensamos no tempo em minutos, horas, dias, meses, anos, décadas… Mas essa percepção pode ser convertida para uma apreciação qualitativa. Aplicando essa ideia ao Programa Jovem Monitor/a Cultural (PJMC), poderíamos dizer que entre 2018 e 2022 contabilizam-se apenas quatro anos, mas em termos de estratégias de avaliação implementadas, a transformação dos processos de monitoramento parece representar uma era. 

A evolução dos processos de análise e visualização de dados, implementados pela geógrafa Lilian Silva, no PJMC, durante esse período, chamou a atenção de acadêmicos australianos quando da apresentação dos métodos do Programa, durante a Semana de Avaliação gLOCAL 2021 – um programa global que une instituições para fomentar técnicas, conhecimento e compartilhar pesquisas sobre monitoramento e avaliação em países em desenvolvimento. A experiência rendeu à mineira um convite para expandir seus conhecimentos em uma pós-graduação no maior país da Oceania.

A geógrafa Lilian Silva. Foto: Acervo Pessoal

Quando a mineira assumiu a função de Analista de Dados do Programa, em outubro de 2018, tinha o desafio específico de organizar a base de informações do PJMC. Encontrou um cenário no qual as pesquisas ainda eram realizadas em questionários impressos, para posteriormente serem digitalizados, o que resultava em uma morosidade na consolidação das informações, além da possibilidade ampliada de equívocos e dados duplicados. Começou então uma saga de estruturação dessa área, que abrangeu desde a coleta até a visualização dos dados, passando pela implantação de novas ferramentas.

Ao longo desse período Lilian converteu para o digital a maioria dos instrumentais de acompanhamento do PJMC, introduziu a utilização de um banco de dados unificado – onde a equipe pode verificar as situações ocorridas durante a implementação de cada edição do Programa -, desenvolveu junto com a equipe CIEDS (instituição parceira da Secretaria Municipal de Cultura na implementação do programa) a pesquisa de egressos e incorporou o uso dos dashboards, que são painéis visuais criados a fim de facilitar a observação das informações, métricas e indicadores. “Foram muitas alterações ao longo desses quatro anos, mas o que percebo que mudou muito foi essa questão de como a gente apresenta os dados do programa, de como a gente se coloca, no sentido de monitoramento e avaliação, como estamos acompanhando esses jovens. Atualmente o PJMC tem 12 instrumentais de acompanhamento, contando com dashboards semanais e mensais de acompanhamento da prática, é bastante coisa”, comenta a pesquisadora. 

Lilian, que desde 2019 participa do gLOCAL, convidou Liduína Lins, coordenadora do PJMC pelo Cieds, instituição parceira na execução da política pública, para falar sobre o monitoramento e avaliação do programa na mesa “Projetos Culturais: Monitoramento e Avaliação pela perspectiva dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS)”. As duas apresentaram as diferentes pesquisas e estratégias utilizadas pelo PJMC, além das ferramentas criadas durante a pandemia, como o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA). “Em todas as mesas que eu participei, o Programa Jovem Monitor Cultural foi muito elogiado, principalmente por essa condução dos processos de monitoramento e avaliação, considerando o tamanho da política pública, o número de jovens e a relevância do programa na cidade de São Paulo”, diz Silva.

Para Liduína Lins, a estruturação de dados implementada torna-se referência da política pública de cultura. “Sabíamos do desafio de estruturar os dados e instrumentais que traduzissem a gestão e o acompanhamento do PJMC. Não tínhamos base que nos orientasse. No início adotamos a ideia de “arquitetura de dados” – estrutura que desse a ver o que a equipe percebia no cotidiano e os dados imprescindíveis à uma política dessa relevância. Portanto, a dedicação da equipe e da Lilian constituiu um know how que qualifica a gestão cultural e serve de case para análise estratégica da política cultural”, analisa a gestora.

O debate no gLOCAL abriu portas para que Lilian, acessasse outras conversas sobre as perspectivas de futuro de monitoramento e avaliação, o uso de big data e como as ferramentas disponíveis podem facilitar a gestão dos projetos sociais. A geógrafa logo recebeu o convite para aprofundar seus estudos na Universidade de Notre Dame, na Austrália, onde atualmente está desenvolvendo o projeto “Data analysis for social project management and public policies: how to improve data presentation to increase social engagement” (Em livre tradução: “Análise de dados para gestão de projetos sociais e políticas públicas: como aperfeiçoar a apresentação de dados para aumentar o engajamento social”). 

Dados levantados na Pesquisa de Perfil passaram a ser sistematizados visualmente. Imagem: Pesquisa de Perfil 2020-2021.

O MBA tem duração de dois anos e a geógrafa sente-se confiante em melhorar a representação de dados e aumentar o engajamento social dentro dos projetos e das políticas públicas, a partir da experiência e dos aprendizados vivenciados no PJMC. “Também acredito muito nas juventudes e políticas públicas porque, na minha visão, são elas que conseguem mudar o mundo, principalmente as juventudes. Então, é muito importante que os jovens tenham acesso aos dados que estão sendo produzidos, isso está sendo construído por eles. E eu acredito que eles têm que ter um pouco mais de domínio, abertura e conhecimento do que é feito dentro do programa, do corpo dessa política pública, e como esses dados podem incrementar a vida de todo mundo, fazendo uma política pública maior e melhor a cada ano que passa”, reflete Lilian. 

PESQUISA DE PERFIL – A Pesquisa de Perfil é um dos instrumentais aperfeiçoados no período de atuação entre 2018 e 2022. A ferramenta reúne informações sobre os/as Jovens Monitores/as Culturais como faixa etária, gênero e identidade de gênero, cor ou raça, pessoas com deficiência, culto ou religião, escolaridade, entre outras informações. A Pesquisa de Perfil sobre a edição 2021-2022 será lançada em breve.

Confira os dados da Pesquisa sobre a edição 2020-2021.

PJMC exporta conhecimento