Andrea Passos, continuísta, começou a atuar com redes sociais em sua primeira edição no programa e agora foi contratada na empresa Purple Cow, devido às suas lições no PJMC.

Por Pedro Paulo Furlan

Andrea Passos, jovem monitora cultural continuísta no Centro Cultural Olido

Atuando no Centro Cultural Olido, também chamado de Galeria do DJ, a jovem monitora cultural Andrea Passos Barros da Silva se envolveu com a administração das redes sociais do espaço cultural e descobriu um caminho profissional na área, sendo contratada esse ano como Community Manager na empresa Purple Cow. A JMC ficou encantada com a criação de conteúdo e supervisão das mídias sociais – no entanto, mesmo com o começo de seu novo emprego, não queria se separar do PJMC ainda: “Não queria ter que me desligar para perseguir a Purple Cow”, conta Andrea, “já sou continuísta, e quero terminar minha jornada aqui pois aprendi muito como jovem monitora”.

A empresa na qual Andrea entrou cuida das redes sociais das mais diferentes marcas e ainda tem uma presença digital própria – funções com as quais a jovem contribui. Dando sugestões de arte para postagens, agendando as publicações e aprendendo muito, ela tem se encaixado perfeitamente na Purple Cow e colocado em prática muitos de seus aprendizados a partir do Programa Jovem Monitor/a Cultural. 

Na edição 2019/20, quando Andrea estava atuando como jovem ingressante, ela participava da equipe de produção no Centro Cultural Olido, cuidando das luzes, som e o ‘backstage’ dos eventos. Entretanto, a JMC não estava gostando muito – devido a isso fez a mudança para a área de Administração do espaço cultural e foi lá que ela se encontrou nas mídias sociais. Analisando os perfis do Olido, Andrea percebeu que a linguagem utilizada não combinava com o público que frequentava o centro cultural – com isso em mente, a jovem começou a propor legendas menos formais e conteúdos mais conectados à diversidade da audiência, sob a sua supervisão as redes cresceram muito. 

Criando sua própria linguagem e renovando os perfis do Centro Cultural Olido, a jovem descobriu um grande interesse e potencial para esse trabalho de comunicação. Após aprender que era possível trabalhar nessa área, Andrea começou a procurar vagas e encontrou a Purple Cow: “Me candidatei, fiz a entrevista e entrei na empresa”, narra a jovem, “e no meu currículo só tinha a minha experiência como jovem monitora continuísta!”. Na sua opinião, a melhor parte é que essa nova oportunidade tirou dela qualquer nervosismo em relação ao momento pós-PJMC – “Agora eu me sinto tão esperançosa,  eu vejo que é uma possibilidade realmente alcançável atuar com algo que aprendi dentro do PJMC”.

Equilibrando sua atuação como jovem monitora cultural e seu trabalho agora na Purple Cow, Andrea tem absorvido muitas lições nos dois ambientes – levando aprendizados de um para o outro. Do novo emprego, a jovem traz ao PJMC mais responsabilidade e disciplina, enquanto à empresa, ela leva diversidade e criatividade na criação de conteúdo, que aprendeu dentro de sua jornada no programa. Sua participação como continuísta trouxe a ela muitas vantagens, mas suas novas oportunidades e suas lições dentro do mundo das mídias sociais foram algumas das mais importantes: “Comecei a mexer com redes sociais no Centro Cultural Olido com apoio imenso da equipe do espaço cultural” conta Andrea, finalizando: “e agora consegui um emprego nessa área, tudo por causa do Programa Jovem Monitor/a Cultural”.

Jovem Monitora Cultural consegue emprego em administração de redes sociais usando seus aprendizados no PJMC